“É hora de unir esforços”


João Branco, Presidente da ABA e Diretor de Marketing do McDonald´s

Por Claudia Penteado

Na gestão de João Branco, Diretor de Marketing do McDonald´s (que fica no cargo até março de 2018), a Associação Brasileira de Anunciantes assumiu um novo propósito: “Mobilizar o Marketing para Transformar os Negócios e a Sociedade. Com quase 20 anos de mercado e dois anos de atuação no conselho da entidade, Branco acredita que o papel da ABA é atuar como importante suporte para os profissionais de marketing neste momento único na história em que a revolução tecnológica e as mudanças na sociedade estão questionando premissas básicas das organizações.

O que você considera prioridades na missão da Associação Brasileira de Anunciantes hoje?

A ABA está em um momento especial. Fizemos recentemente um estruturado processo de validação do nosso propósito. Nosso alvo ficou mais claro: a Associação Brasileira de Anunciantes existe para mobilizar o marketing para transformar os negócios e a sociedade. É lá que queremos estar. Nossa prioridade agora é aterrissar isso às nossas áreas concretas de atuação.

Como a missão da entidade vem se transformando diante de um cenário de tantas transformações e novas demandas?

Se o mercado muda, os anunciantes também mudam e a ABA deve acompanhar esse movimento. Nos últimos anos melhoramos a governança da associação, aumentamos ainda mais nossa representatividade nacional e nos estruturamos para fortalecer nossa atuação. Mérito de meus antecessores, da ação da diretoria, conselho e da Presidente Executiva Sandra Martinelli. Mas há alguns meses percebemos a necessidade de entender com mais profundidade o nosso verdadeiro propósito e foi assim que nasceu o estudo que mencionei e que nos fez confirmar o nosso alvo.

Como vem se transformando, ao longo do tempo, o profissional de marketing?

Vivemos um momento único na história em que a revolução tecnológica e as mudanças na sociedade estão questionando premissas básicas das organizações. E o profissional de marketing tem um papel crítico em todo esse contexto, como agente de construção desse novo futuro. Os desafios dos anunciantes vão muito além dos investimentos de mídia, das metas de vendas e lucros ou do fortalecimento das  marcas. Ao satisfazer necessidades com nossos produtos e serviços, tocamos e mudamos as vidas das pessoas. Ao fazermos campanhas massivas de comunicação, influenciamos valores e a forma de pensar da sociedade. Ao movermos nossas empresas em direção ao que os consumidores querem, assumimos o protagonismo nesse momento de transformação. Isso coloca os profissionais de Marketing em uma posição muito sensível nesse momento. E é para ajudá-lo que a ABA existe.

O que a sua experiência em uma empresa moderna como o McDonald's pode contribuir no seu trabalho à frente da Associação Brasileira de Anunciantes?

Minha função na ABA é a de liderar as discussões que definem a direção da associação e que são reflexo direto dos interesses dos anunciantes. Até pela exigência da própria função, meu papel é totalmente independente do meu empregador. Mas claramente há muitas similaridades na atividade da liderança da Associação Brasileira de Anunciantes com a de um líder de marketing. Afinal, ambos querem entender e satisfazer seus consumidores/associados, por exemplo.

Como a ABA vem se posicionando diante das muitas críticas do mercado às mesas de compras e a sistemas de remuneração que vêm prejudicando a saúde de agências de publicidade e produtoras?

A situação complicada de mercado em que estamos fez com que todos os seus integrantes tivessem dificuldades. É natural que em um momento de maior pressão por resultados cada um adote uma postura mais protetora dos seus próprios interesses. Mas é preciso entender que todos somos parte de um único ecossistema e dependemos profundamente uns dos outros. Não existem grandes marcas sem comunicações poderosas criadas por boas agências. E não existem grandes agências sem clientes com apetite para crescer. É hora de unirmos esforços para proteger o mercado, garantindo relações éticas e uma remuneração justa pelo valor agregado de todos.

Que parcerias podem se dar entre a ABAP e a ABA, por exemplo? 

Temos muitos valores e interesses em comum com a ABAP. A Associação Brasileira de Anunciantes acredita na promoção de um ambiente de negócios livre e responsável, em que a confiança, a transparência e a construção coletiva são identificadas em nossas agendas engajadoras. Também valorizamos a criatividade, consciência, liberdade e responsabilidade. Se focarmos em construir juntos mudanças significativas sobre as nossas intersecções, só temos a ganhar.