“Nossa matéria-prima é conteúdo de qualidade, com credibilidade”


Fábio Gallo, presidente da ANER

Por Claudia Penteado

A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) promove no dia 4 de abril, em São Paulo, o seu fórum “O Papel da Mídia Brasileira na era da Pós-Verdade”. Neste papo, o COO da Editora Abril comenta, entre outras coisas, o papel da ANER nesta discussão, a importância do apoio ao bom jornalismo e o valor da curadoria das informações realizada pelos editores para “separar o joio do trigo”. Em tempo: mais informações sobre o fórum da ANER estão em www.aner.org.br.

Qual é o papel da ANER na discussão a respeito da pós-verdade? Por que parecemos estar na era da desinformação?

Gallo - Somos a entidade que congrega os editores de revistas do país. Nossa matéria-prima é conteúdo de qualidade, com credibilidade. Nosso compromisso é, portanto, com a verdade dos fatos. Boatos, mentiras e informações manipuladas a serviço de interesses particulares sempre existiram. Mas vivemos numa era em que todos são produtores de conteúdo - seja ele verdadeiro ou não - e não há barreiras na publicação e distribuição. Não há curadoria nas redes sociais. E, assim, mentiras muitas vezes bem contadas, são assumidas como verdades. As consequências disso podem ser desastrosas para o bem comum.

Transparência e verdade parecem ser artigos cada vez mais raros. Você diria que o modelo digital ajudou a disseminar a ideia de que informação é algo disponível, sem valor, acessível a qualquer um?

Gallo - As redes são uma força do nosso tempo. Mas é inegável que são ambientes quase caóticos, com pouquíssimo controle. Editores são curadores e não há isso nas redes sociais. Por isso, a imprensa continuará a ter o fundamental papel de separar o joio do trigo e de, muitas vezes, desafiar o comportamento de manada com a verdade.

Como reconquistar a confiança das pessoas? Há uma oportunidade aí para as mídias revista e jornal de resgatar a importância do jornalismo sério?

Gallo - A discussão sobre a pós-verdade joga luz sobre a importância do jornalismo de qualidade e sua missão primordial. A missão não mudou - expor a verdade, em favor do bem público. A questão da pós-verdade só mostra o quanto ela é determinante para a democracia e o bom funcionamento das relações sociais.

Como fazer isso, e como depender de um modelo de negócio inteiramente novo?

Gallo - É preciso incentivar o apoio ao bom jornalismo. Mostrar o valor que a informação, com credibilidade e qualidade, tem para a vida das pessoas.

Fale sobre o Fórum da ANER: quais os pontos altos do debate e como foi montada a programação?

Gallo - O fórum reunirá várias vozes, que analisarão a era da pós-verdade, suas consequências e o papel da mídia diante desse fenômeno sob diferentes aspectos. São jornalistas, filósofos, acadêmicos. Para quem lida com comunicação - e para quem tem interesse em nosso momento histórico - será um momento de reflexão importante.

Como lidar com a queda global de investimentos em publicidade na mídia revista?

Gallo - Em mudanças estruturais, empresas e pessoas precisam se adaptar. É o que o mercado de revistas no mundo inteiro vem fazendo. É fundamental dizer que o impresso é hoje uma das muitas plataformas de conteúdo das revistas - importante, mas não a única. Revistas são comunidades de interesse, reunidas pelos conteúdos produzidos por marcas. Estamos no impresso, no digital, em eventos e nas redes sociais. A publicidade continuará a ser importante para o mercado de revistas. Mas as transformações dos últimos anos deixaram claro que é fundamental a receita gerada pela audiência, com a venda de conteúdo diferenciado e de experiência.

Como o mercado de revistas vem se reinventando?

Gallo - Estamos abraçando rapidamente a multiplataforma, estreitando os laços com nossas audiências. Estamos com elas em todo momento e lugar da forma que elas escolherem.

Como a ANER vem auxiliando o mercado de revistas nessa jornada desafiadora no digital?

Gallo - Com a busca e o compartilhamento de informação e conhecimento sobre esse assunto. Promovemos fóruns, debates e workshops sobre digitalização, apontamos tendências e compartilhamos casos de sucesso.