"A tecnologia é um meio de aprimorar as conexões humanas"


Miriam Shirley, CEO da Sapient AG2 e Diretora da ABAP

Por Claudia Penteado 

Logo após as eleições da ABAP, o ABAP Week conversou com Miriam Shirley, CEO da Sapient AG2, nova integrante da diretoria nacional da entidade. Para ela, a melhor maneira de zelar pelo desenvolvimento da atividade publicitária é por meio de entidades fortes com longo histórico de contribuições para o mercado. Neste bate-papo, ela também faz um balanço dos primeiros três meses à frente da agência digital do Grupo Publicis.

Miriam, qual a importância de, hoje, na sua visão, participar de entidades de classe como a ABAP?

A atividade publicitária é um importante motor da economia brasileira, dá sustentação à imprensa livre e é reconhecida mundialmente por sua criatividade. Por esses e “n” outros fatores ela precisa de lideranças unidas e dispostas a zelar pelo seu desenvolvimento. A melhor forma de fazer isso é por meio de entidades fortes e com um longo histórico de contribuições para o mercado, como a ABAP.

Qual o papel hoje da entidade, e como você acha que pode contribuir, que assuntos lhe movem mais?

Desde 1949, quando foi fundada, a ABAP esteve envolvida nas grandes questões e no lançamento de marcos da indústria publicitária, como o Conar e o Cenp. Hoje, temas como melhores práticas de concorrência e remuneração continuam extremamente atuais e precisam estar na pauta da entidade. Mas a revolução dos dados, o debate em torno da diversidade, as questões atitudinais, entre tantos outros temas, também devem estar no nosso radar. Pretendo dar a minha visão – como mulher e profissional que cresceu na mídia off-line, transformou-se em executiva e hoje atua à frente de uma grande agência digital – para contribuir com a evolução dessas conversas.

Que questões tiram o sono de executivos da propaganda como você, atualmente?

Temos questões no macro e no microambiente em relação às quais precisamos estar atentos. O Brasil vive um momento de muitas nuances e isso impacta diretamente no nosso mercado. Além disso, olhando para a indústria de comunicação em si, há toda a questão de retenção e desenvolvimento de talentos, de melhor aproveitamento de novas plataformas e iniciativas de negócios que exigem de cada um de nós uma disposição para o aprendizado constante. São desafios do mundo contemporâneo que quem atua nessa indústria precisa estar disposto a enfrentar.

Como tem sido a experiência na Sapient AG2, uma agência totalmente digital? 

Estou prestes a completar três meses de gestão e tem sido uma oportunidade única estar à frente de uma agência que tem como missão ser a plataforma de transformação do modelo de negócios do Grupo Publicis e seus clientes através do digital. Todos os dias, me surpreendo positivamente quando vejo que a tecnologia é cada vez mais um meio para fortalecer e aprimorar as conexões humanas. Os desafios da comunicação hoje são enormes, as possiblidades de contribuir com o negócio de marcas em diferentes fases de mercado também. E a Sapient AG2 tem tudo para ser uma das protagonistas nesse caminho.

Que balanço você faz da sua entrada, até agora, e como vê as conquistas recentes?

Em um primeiro momento, precisei olhar para dentro. Conhecer a equipe, entender como estava o trabalho para cada cliente e me aproximar daqueles que eu ainda não conhecia. Como nos últimos três anos já atuava muito próxima à Sapient AG2, esse trabalho acabou sendo bastante natural. Em seguida, implementei os dois vetores principais da minha gestão: o aprimoramento do trabalho para os clientes que já tínhamos na casa e o fortalecimento das parcerias com as outras agências do grupo, seguindo a filosofia do Power of One.  A conclusão é que em tão pouco tempo já temos vitórias para comemorar, como a conquista de três importantes projetos para marcas internacionais.

O que esperar deste ano?

Acho que é um ano que nos trouxe uma expectativa de retomada econômica, o que é bom para os negócios, mas também um cenário de polarização muito delicado. Nós, que ajudamos a construir grandes marcas, precisamos estar sempre atentos às demandas dos clientes e da sociedade.