"'Negócios' sempre esteve no nosso DNA" - Robert Filshill, presidente do Grupo de Atendimento e Negócios


Por Claudia Penteado

Robert Filshill, diretor geral de atendimento da MullenLowe, assumiu a presidência do Grupo de Atendimento e Negócios em 2018 e diz que sua missão é, essencialmente, inspirar e levar conhecimento aos profissionais e agências. Um dos movimentos da entidade tem sido, por exemplo, estimular agências a incorporarem o termo "Negócios" ao cargo dos profissionais de atendimento, para melhor descrever sua função atual: gerar e fazer a gestão dos negócios dos clientes. O GAN é um case de sucesso: em 2 anos, conquistaram 461 associados anuais, 10 agências associadas, 6 patrocinadores e 8 empresas apoiadoras. Neste bate papo, ele conta um pouco dessa história.

Quando você assumiu o GAN, e o que o motivou?

Entrei no Grupo de Atendimento logo na sua fundação, em abril de 2013, pois via a necessidade da área ter um evento anual, que trouxesse conhecimento e inspiração para impulsionar a carreira de cada profissional, sua contribuição dentro das agências e o valor da área como um todo no mercado. Assim nasceu o GAN Summit, que semana passada realizou sua 7ª edição, um evento que foi bastante comentado devido à sua qualidade na organização, palestrantes e conteúdo. O que me motivou a assumir a presidência do GAN em 2018 é justamente isso: levar conhecimento e inspiração de qualidade a todos os profissionais do mercado, criando novas iniciativas que gerem valor aos profissionais e as agências, enquanto embarcamos em uma nova era em nossa indústria.

O GAN já teve outros nomes - o que representa hoje estar vinculado ao termo Negócios? Quando ele foi incorporado?

Todo profissional de atendimento sempre gerou e fez gestão dos negócios dos clientes que atende. “Negócios” sempre esteve no nosso DNA, mas não no nosso nome. Identificamos mediante pesquisa a necessidade de reafirmar nosso papel como líder de negócios nas agências e perante o mercado. A adoção do termo “Negócios” no nosso nome é para estabelecer e fortalecer a atuação e valor do profissional da área neste momento de transformação do mercado e, concomitantemente, preparar os profissionais para sua evolução constante. Em agosto de 2018, nasceu o Movimento Negócios, com um roadshow que realizamos com CEOs de várias agências, e em outubro de 2018, fizemos o lançamento do movimento durante o GA Summit. Até agora, mais de 20 agências já incorporaram a denominação Negócios no nome da área e na função de seus profissionais. E este número só deve aumentar, aceleradamente, na medida em que o profissional de atendimento e negócios é gradualmente visto como o gerador e gestor de oportunidades em cada agência.

Qual a missão da entidade?

O sucesso do GAN se deve ao foco exclusivo que temos na nossa missão: capacitar e inspirar os futuros líderes do mercado. Nossa entrega é uma agenda acadêmica bastante intensa, realizada através de uma série de eventos e cursos como os Encontros com Líderes, Provocações, Sessões Insight, Curso Digital Business Update, Curso Líderes de Negócio, GAN Summit, Podcast É Tudo Negócio, Programa Mentoria e os conteúdos que publicamos no LinkedIn e no site ganegocios.com.br. O sucesso tem sido tanto que em menos de 2 anos já temos 461 associados anuais, 10 agências associadas, 6 patrocinadores e 8 empresas que nos prestam apoio. Adicionalmente, estamos contribuindo para formar novos grupos de atendimento e negócios em Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Fortaleza.

Como tem sido a sua gestão, quais os desafios e quais os seus objetivos?

Na minha gestão, temos procurado aumentar a cobertura e profundidade da nossa agenda acadêmica. Em 2019, realizamos ao todo 35 eventos, reunindo 88 palestrantes e quase 1500 profissionais do mercado. Criamos o programa agência associada, que permite a capacitação de sua equipe de atendimento e negócios através das iniciativas e atividades do GAN. Aliás, muitos CEOs e associados já me disseram que associar-se ao GAN tem sido um dos melhores investimentos que já realizaram.

Quem acompanha você, na diretoria?

Temos uma diretoria bastante engajada e ativa. Somos 15 diretores entre presidência, vice-presidência, diretoria acadêmica, projetos especiais, comunicações, regionais e financeira. A diretoria é formada por líderes da área em diferentes agências, como a Cris Pereira (DDB), PC Freitas (Africa), Leda Cichello, Vivi Brafmann, Carol Bassi (iProspect), Wilson Negrini (Lew’Lara\TBWA), Fabio Simão (Tripê), Gui Bailão (Heineken), Zé Schwartsman, Zé Boralli, Hamilton Leão, Fábio Meneghati, Saulo Sanchez, além de nossa fantástica coordenadora, a Tita Thomy.

Como você enxerga o papel das entidades desse nosso mercado?

As entidades têm um papel fundamental no mercado, uma vez que todas buscam melhorar a atuação dos profissionais, empresas ou áreas que representam. E esse passou a ser um job importantíssimo no momento atual, na medida em que a indústria está entrando nesta nova era da comunicação. Os profissionais e empresas buscam referências, conhecimento, evolução e crescimento. As entidades possibilitam isso, como o GAN, ao levar capacitação e inspiração de primeira qualidade aos seus associados.

Quais os seus principais desafios hoje, como profissional? Como a área vem se reinventando?

O principal desafio é como entregar valor, com qualidade e velocidade, dentro dessa nova dinâmica de preços que o mercado está atravessando. O Sir Martin Sorrell disse no GAN Summit que trata-se de fazer uma entrega “better, faster, cheaper”. Não é nada fácil. Estamos em uma fase de transformação para chegar nessa equação. Temos as perguntas, mas ainda não temos todas as respostas.

Qual o perfil ideal do profissional de atendimento, hoje?

Cada vez mais, o profissional de atendimento e negócios precisa ter uma atitude empreendedora, para buscar soluções criativas para os clientes e marcas que lidera. Para isto, precisa entender com profundidade o negócio do cliente e o contexto pelo qual ele atravessa: seus consumidores, objetivos, oportunidades, concorrência e tudo que seja relevante para seu negócio. Precisa estar antenado com as tendências, novidades e momento atual do mercado. Precisa também conhecer e liderar os recursos da agência e parceiros de negócio, buscando integrá-los de maneira eficiente e produtiva.

O que encanta você, nessa profissão? 

Criar e executar grandes ideias que transformam os negócios dos clientes, da agência e dos parceiros de negócio. É apaixonante.