“Nosso mercado é uma poderosa alavanca na vida das empresas e das marcas”


João Livi, CEO e CCO da Talent Marcel

Por Claudia Penteado

Com poucas palavras, um pouco de humor e os pés bem fincados no chão, João Livi, CEO e CCO da Talent Marcel, comenta sua passagem pelo Cannes Lions e suas impressões sobre o negócio e o futuro da propaganda.

Você acaba de chegar do Cannes Lions. Gostaria de saber o que marcou você no evento.

O La Mére Bresson, um dos mais requisitados restaurantes simples de Cannes, fechou as portas. Mas claro, o anúncio do Arthur Sadoun também causou.

Você concorda que o festival precisa se reinventar?

O Festival tem se reinventado. De maneira dramática. Resta saber se o caminho escolhido foi o melhor, o mais relevante, ou não.

Não há dúvida que a nova gestão revolucionou o business do Cannes Lions. Não há o que discutir. Eles são uma empresa, hoje, muitas vezes maior do que foi em outras épocas.  Mas, se por um lado se aproximou de todas as disciplinas, por outro ficou tão gigantesco e cheio de informações, vencedores e propriedades comerciais que perdeu a característica de "talk of the town".

Qual o valor do Festival de Cannes, na sua visão? 

Comparação, aprendizado e emoção.

O que você acha do projeto do grupo Publicis, que inclui a Talent Marcel, de criar uma grande rede de inteligência artificial conectando os 80 mil funcionários da rede?  

Eu acredito que pode ser ótimo.

Qual a discussão mais importante, hoje, relativa ao futuro da propaganda? 

O futuro da propaganda, itself. Sem ironias, acho que são muitas previsões. Tem futurologista para todo lado, cada um obedecendo uma agenda, defendendo uma cartilha.

Mas posso te garantir uma coisa: vai mudar mais e ficar pior para quem não tem profundidade e visão de resultado. Vai ficar pior para quem só aponta o dedo e não faz. Vai ficar pior para quem não for criativo. Vai ficar pior para quem não pensar em produtividade. Vai ficar pior para os gurus que não entregam.

E qual é, na sua opinião, o papel mais fundamental de uma entidade como a Associação Brasileira de Agências de Publicidade?

Nosso mercado é uma poderosa alavanca na vida das empresas e das marcas. Muitas vezes os anunciantes acham que estão fazendo um ótimo negócio em desvalorizar os fornecedores de comunicação. Não estão. Na verdade estão dando um tiro no próprio pé, perdendo valor e sua capacidade de competir. O papel da ABAP, na minha opinião, é deixar isto claro. Todo anunciante que tem como parceiro uma boa agência, sabendo que qualidade não dá em árvore, acreditando no valor de uma relação win-win, tem resultados melhores em comunicação do que os seus concorrentes.